quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Vindouro



Em céus distantes
Amantes ao mar
Sussurram aos homens
Que a-mar é gigante
Amigos derretidos
Cultivam o sentir
Em terras mutantes
Entre um vento imigrante
As lágrimas falantes terão a ação
E inesperadamente os versos futuros
Tocarão os lábios
Acelerando o pulsante coração
Ressoam em carícias
As delícias que arrebatam
Vindouras alicias.


Eulandia Florêncio/ Fábio Rabelo
Imagem: René Magritte

5 comentários:

Franzé Oliveira disse...

Todos os meus pensamentos serão abertos
Todas as mensagens serão sinceras
Será como a primeira vez
Não de maneira para tira o ócio, mas para sentir gozo
Sentir o sangue correr nas artérias
Para que se compreenda toda a intenção
Implícitas no contexto escrito
Para possarmos tirar a roupa
E sermos simplesmente nós
Porque eu nu sou sem máscara

Ana Valeska Maia disse...

Esse ato de poetar em dupla deu fruto bom!
Bjs querida Flor!

LorDy DeCo disse...

muito bom bom bom =D

Pedrito disse...

Powerful!

Pedrito

A Trilha do Bravo disse...

Muito muito bom msm! =)